Sexta-feira, 19 de maio de 2017 às 7:35 em LEOPOLDINA
Roubos na área rural assustam proprietários de Leopoldina e região

 

O número de furtos na área rural da nossa região vem crescendo a cada ano. Trator, animais, insumos, enfim, vários itens entram na lista de alvos dos bandidos que apavoram os moradores de fazendas e sítios da zona da mata mineira.Para amenizar a situação, o Sindicato Rural de Leopoldina, as Prefeituras e a Polícia Militar fizeram uma parceria, adquirindo equipamentos par mapeamento e monitoramento das estradas na área rural. Além disso, a PM fez um cadastro de todos os funcionários dos sítios e fazendas da região, disponibilizando estas informações para consulta dos proprietários associados ao sindicato local, já com informações do cadastro nacional da polícia. O índice de roubos diminuiu consideravelmente com estas estratégias.
 
Sindicato Rural firma parceria com Polícia Militar
 
Em recente visita ao Comandante Geovane Ramos da Policia Militar, o presidente do Sindicato, Salviano Junqueira Ferraz, entregou mapa da área rural de Leopoldina, com objetivo de facilitar a circulação da Patrulha Rural pelas estradas vicinais da região.Na ocasião, o Comandante ressaltou a importância dosprodutores rurais registrarem qualquer furto, para servir de dados para que sejam pleiteados recursos para o setor. Como a maioria das pessoas não registram os roubos, isso faz com que os números sejam muito diferentes da realidade, prejudicando o serviço da Polícia.Também foi acordado a criação de um grupo de whatsapp, entre produtores rurais e a polícia, para que as informações circulem mais rápido. Assim será possível informar imediatamente a localização e o que foi furtado.Quem quiser fazer parte deste grupo favor cadastrar seu número de celular com Fabiano no Sindicato Rural de Leopoldina.
 
ENTREVISTA
Recentemente empossado, o Comandante da Polícia Militar de Leopoldina, Tenente Coronel Geovani do Carmo Ramos, concedeu uma entrevista exclusiva à jornalista Márcia Vaz Barbosa, editora do jornal do Sindicato Rural de Leopoldina, para esclarecimentos sobre este assunto, que já causou grande prejuízo ao setor.
 
Como é feita a segurança na área rural?
A Patrulha Rural é realizada na zona rural da unidade. Essa atividade consta no portifólio de serviços da Polícia Militar e busca levar segurança aos habitantes da zona rural e sua aproximação com a PM, justamente com o foco de evitar os delitos que podem ocorrer naquelas localidades.Além da Patrulha Rural, o atendimento das ocorrências na área rural é realizado pelas patrulhas de atendimento comunitário dos destacamentos, durante todo o dia e noite, basta que seja feito o acionamento pela população.
 
Quais as cidades que compõem a região da qual sua Companhia de Polícia éresponsável?
A área da 6ª Companhia de Polícia Militar Independente é composta por quinze municípios, quais sejam: Leopoldina, Argirita, Recreio, Cataguases, Santana de Cataguases, Miraí, São Sebastião da Vargem Alegre, Astolfo Dutra, Dona Euzébia, Itamarati de Minas, Além Paraíba, Pirapetinga, Santo Antônio do Aventureiro, Volta Grande e Estrela Dalva.
 
Qual a realidade na nossa região sobre roubos de gado, cavalo e trator?
Em consulta ao sistema de registro de ocorrências da PMMG, verificamos que, no período compreendido entre janeiro de 2016 e fevereiro de 2017, foram registradas nos municípios de responsabilidade da sede da 6ª Cia PM Independente, 739 furtos, sendo que 123 desses foram em área rural. Desse total, verificamos que 17 referem-se a furtos de gado, 02 furtos de cavalos e apenas 01 furto de trator. Quanto a roubos, tivemos somente 04  registros em todo o período considerado.
 
O que poderia ser feito efetivamente para mudar esta realidade?
Conforme já dissemos, o patulhamento rural é uma forma eficaz de combate ao crime na área rural dos municípios, em conjunto com a aproximação com a comunidade, o que leva mais segurança aos moradores do campo e diminui, no infrator, a vontade de delinquir.
 Denúncias anônimas por parte dos moradores contendo informações sobre autoria de tais delitos podem ser muitos úteis, tanto para o serviço de prevenção pela Polícia Militar, quanto para os serviços de investigação realizados pela Polícia Civil. As denúncias podem ser canalizadas por meio dos atendimentos 190 (Emergência Policial) e  181 (Disque Denúncia Unificado), ressaltando que em casos de denúncias de autores de furtos e roubos, veículos utilizados para o crime,  locais de armazenamento de drogas e armas de fogo,  ou outros crimes,  o denunciante não será identificado. O importante é o que a pessoa tem a denunciar de forma responsável, e não sua identificação.
 

As leis são as mesmas para crimes cometidos na área rural?
Sim, todos os delitos são englobados pelo Código Penal ou pela Lei de Contravenções Penais em todo o território nacional, independente do local onde ocorram. Não existe uma legislação específica para os crimes ocorridos na zona rural. Temos, ainda, os crimes ambientais, previstos na lei nº 9605/98, que são mais comuns em área rural, por questão da natureza do território, mas que podem, também, ser cometidos em área urbana.
 
O porte de arma de fogo foi realmente liberado para o produtor rural?
A Lei que trata do porte de arma em todo o território nacional é o Estatuto do Desarmamento (Lei nº 10.826 de 22 de Dezembro de 2003), que dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição... e dá outras providências. Essa lei prevê o porte de arma na categoria de caçador de subsistência, obedecidas as demais exigências para o registro, ao produtor rural que tenha a caça como atividade de subsistência alimentar sua e da família, comprovadamente.Quanto ao porte de arma para o produtor rural, existe um projeto de lei em trâmite que visa a autorização de tal porte para o morador do campo com objetivo de defesa de sua vida, integridade e de seu patrimônio, podendo o produtor portar o armamento dentro dos limites de sua propriedade. Porém, ainda não foi aprovada tal lei.Como forma de aproximação e melhoria no fluxo de informações na zona rural entre moradores e a PM, sugerimos dentro das possibilidades,  a implementação de uma rede de proprietários rurais protegidos aos moldes da rede de vizinhos protegidos existente nas áreas urbanas residenciais.

Fonte: Jornal Leopoldinense

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!