Domingo de Carnaval tem folia e alegria em diferentes pontos de Leopoldina
12/02/2018 - 7h34 em LEOPOLDINA

 

Embalados pela bateria e metais do Bloco do Moinho, mais de duzentos foliões aproveitaram o domingo (11) de sol e carnaval em Leopoldina. Fazendo sua estréia este ano, tocando sambas de enredo e marchas tradicionais de carnaval nas dependências do Clube, o Bloco do Moinho iniciou seu desfile em direção ao Centro da cidade no começo da noite, arrastando mais de duzentas pessoas. Após percorrer a Rua Dr. Custódio Junqueira, o Bloco atravessou a Praça Francisco Pinheiro de Lacerda (a Praça do Rodo), seguiu por um trecho da José Peres e chegou até a Praça Félix Martins, encerrando sua apresentação na Praça João XXIII rodeado de crianças e adultos, todos apreciadores do carnaval. Durante o percurso, a Polícia Militar deu apoio aos populares e condutores de veículos, controlando o trânsito até a chegada na Praça Félix Martins. 

Durante o dia o Clube do Moinho promoveu uma grande festa de carnaval, com som mecânico, apresentação rítmica da Oficina de Percussão e Batucada com intérpretes e Bateria do Bloco do Moinho.


Em entrevista ao jornal O Vigilante, o presidente do Clube do Moinho, Dr. Giovanni dos Santos Felippe (foto abaixo) falou sobre o tradicional carnaval do Moinho, destacando que este ano só faltaram os bailes noturnos e matinês. “Os carnavais nos clubes acabaram devido aos custos elevados. A conjuntura do país está muito difícil, mas é possível que para o futuro o Clube do Moinho resgate os bailes de carnaval”, comentou. 

O presidente orgulhosamente falou sobre o salão do Clube, com 800 m2, considerado um dos maiores de Minas Gerais. “Fizemos grandes carnavais aqui no Moinho, depois o carnaval de clubes acabou, devido aos custos elevadíssimos. A lotação normal do salão são 135 mesas e nós conseguíamos colocar 210 mesas, era incrível, um carnaval de arromba."

 “Esse é meu último ano à frente do Clube, não sei quem vai assumir a presidência, mas eu vou ajudar no que for preciso”, adiantou Giovanni, esclarecendo que para a realização de quatro bailes noturnos e três matinês a estimativa feita indicava custos de aproximadamente R$ 120 mil reais. “Achamos, portanto, melhor não fazer os bailes este ano”, explicou, relembrando que participou da organização durante 12 anos do Encontro de Motociclistas, sempre com sucesso. “As coisas vão se transformando, a diretoria do Clube do Moinho me ajuda, me empurra, e assim nós vamos pra frente”, concluiu. 

 

 

Fonte: O Vigilante

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!