Cantor de Leopoldina receberá o título de cidadão honorário de Cantagalo-RJ
13/03/2018 - 7h39 em LEOPOLDINA

 

O cantor e compositor Luan Severo vai receber nesta terça-feira, 13 de março, o Título de Cidadão Honorário de Cantagalo, região Centro Fluminense do Rio de Janeiro. A indicação foi da vereadora Emanuela Teixeira Silva, a ‘Manuela do Paraíba’, que reconheceu o trabalho musical do jovem leopoldinense, além da boa relação de amizade que ele tem com muitos pessoas naquele município. 
 
Vindo de uma família de cantores, compositores e instrumentalistas, Luan começou a cantar ainda criança, com 9 anos, incentivado pelo seu pai Sebástian, da Banda Triunfo Sertanejo, participando de bailes e festas. Aprendeu a tocar gaita e violão com o seu tio Nélio Gonçalves (in memorian) e também gostava de cantar moda caipira com o seu avô Sebastião Augusto, o popular Piúna, de 84 anos, que foi palhaço de folia de reis, cujas rimas e trovas encantavam o público, sendo o responsável por incentivar os filhos e netos pela encantadora arte da música. Piúna chegou a se apresentar na Rádio Nacional em seus áureos tempos e na Rádio Sociedade Leopoldina.
 
Luan Severo Augusto tem 25 anos, é casado com Leidiane Aparecida Miranda Conde Severo e pai de Giovanna Miranda Condé Severo. O jovem artista leopoldinense é filho de Leila Regina Gonçalves Severo Augusto e do cantor e compositor Sebástian Augusto Filho.
 
Em entrevista ao jornal Leopoldinense ele comentou que 90% de seus shows são realizados em cidades do Estado do Rio de Janeiro, principalmente em Cantagalo. "Eles me abraçaram como um filho, só tenho que agradecer essa terra querida que amo de coração, onde fiz muitos amigos, fãs e parceiros. Foi onde cresci musicalmente, mudando minha vida para melhor. Agradeço à Deus e à Nossa Senhora Aparecida por tudo, à minha família, minha esposa Leidiane, minha filha Giovanna, aos meus pais, irmãos, avós, tios e tias, amigos, familiares, enfim, a todos que curtem o meu trabalho. Quero fazer um agradecimento especial ao meu amigo e grande músico Neizinho Pinheiro, que me levou pela primeira vez para realizar trabalhos na região, ao amigo Kleber e toda família Gamela, além de todos os parceiros".

 

Fonte: Jornal Leopoldinense

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!